+Academia: Cavaco Silva debate futuro do euro na UBI

Apresentado por António Fidalgo, reitor da UBI, como “um dos pais de Portugal na União Europeia (UE)”, o ex-Primeiro Ministro e ex-Presidente da República tomou a palavra para reafirmar a “enorme importância que esta comunidade tem para o nosso país, em particular, e para o mundo em geral”. Cavaco Silva destacou ainda o papel fundamental que o euro tem desempenhado no “reforço da posição global da UE como zona de influência e poder”.

O antigo Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, esteve na Universidade da Beira Interior, no passado dia 27 de março, para liderar a conferência “A singularidade da construção europeia e o futuro do euro”, tendo a sessão decorrido no Auditório das Sessões Solenes, do polo principal da universidade.

Admitindo que alguns erros foram cometidos durante a história da instituição, chegando a admitir que “a Zona Euro não é uma zona monetária ótima nem o virá a ser no futuro”. Cavaco Silva aponta os equívocos como um meio de aprendizagem e de contribuição para um melhor desenvolvimento da União, afirmando que “nada reduz a grandeza histórica da construção da União Europeia e da Zona

Tratando do caso português, foram igualmente apontadas falhas, destacando o descorar da competitividade externa da economia interna. Ainda assim, referiu-se ao Banco Central Europeu e à própria Zona Euro como “fundamentais no apoio e recuperação do país”.

No final, Cavaco Silva deixou bem vincada a ideia de que vale a pena acreditar na UE e que tudo aponta para o bem-estar e continuação do Euro. A unidade monetária é vista pelo ex-Presidente da República como “um dos ativos mais valiosos que a sua geração deixa aos jovens”.

Partilha isto: